imagem de hispanico

segunda-feira, 11 de dezembro de 2006

terra ... passagem


ouvir

o

silêncio.

ouvi

o

silêncio

das folhas...




.....

de um pedaço de terra

fiz passagem

destino selado mais a golpes

do que gestos em lume...que aliviassem


declarei guerra a intolerância.tinha medo

naquela época, do esquecimento ou de jamais poder deslembrar


tive medo...

enquanto caminhava pelas veredas,

pelos bosques.


não me sabia pertencer a qual espaço

me sentia de tantos lugares

me sentia preso a tantos destinos...

mas desejava-me dissidente...

assim e tão somente

buscava momentos de solidão

onde os meus sonhos, moldados, livres

sem ninguém a percebe-los.


usava a bruma das noites frescas do inverno

para arrefecer.me o medo

conhecer.me alma e corpo

natureza e pensar...


sabia.me transgressor

das realidades diante e ao redor de mim...


elas eram parte viva e latente

poderosamente latente

de minha vida

cabia.me aprender a usá-las.reconhece.las.

saber ve.las até mesmo sem olhar.

foto de alexandre costa

6 comentários:

  1. Tão eloquente... o silêncio e... o teu poema!
    Marrocos?
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  2. :) pois Marrocos... e eu sou de Bragança, à saída de Sintra. ;)

    Belo andar, ainda que com medo. A dissidência assusta mas no início apenas.

    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Santiago

    De Marrocos vai outro pra ti.

    agradeço.


    cordda

    ResponderExcluir
  4. Farpa


    Sintra...Bragança...belezas inesquecíveis.

    assustou.me de início...já passou.


    cordda

    ResponderExcluir
  5. Porther


    tento. tento.

    quero ver até sem olhar.


    cordda

    ResponderExcluir